Avião é sequestrado na Guiana e levado para Roraima

Quatro homens armados com pistolas sequestraram um avião Cessna Caravan da Trans Guyana que fazia a rota doméstica Lethem-Georgetown com 12 passageiros a bordo, desviaram a aeronave para território brasileiro, aterrissaram em uma fazenda em Roraima, libertaram os reféns e fugiram a cavalo. Segundo o diretor de operações da Trans Guyana, Roy Jainandan, ninguém foi ferido no episódio. Ele relatou que os quatro sequestradores sacaram as armas pouco depois da decolagem em Lethem, perto da fronteira brasileira. Eles amarraram os outros oito passageiros e usaram um aparelho de GPS (posicionamento global por satélite) para dar ao piloto as coordenadas do local onde pretendiam pousar. Antes de embarcar, os sequestradores haviam se identificado com passaportes: dois colombianos, um brasileiro e um uruguaio, segundo o diretor da Trans Guyana. "Isso foi claramente uma operação bem organizada. Nós sempre tivemos medo de que isso acontecesse um dia", disse Jainandan. Ele acrescentou que os sequestradores deixaram o avião depois do pouso em Roraima e que o piloto, Zaul Ramotar, levou o Cessna de volta a Lethem. A deputada guianense Shirley Melville, que estava no avião, disse que "foi uma experiência assustadora". Segundo ela, os sequestradores deixaram claro que não pretendiam fazer mal aos passageiros. A deputada acrescentou que entre os passageiros estavam também dois canadenses e dois funcionários do Banco Mundial. Melville disse também que, depois do pouso em uma fazenda em Roraima, os sequestradores permitiram que os reféns usassem o banheiro local e depois fugiram a cavalo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.