Avião levando Zelaya se aproxima de Honduras

O presidente hondurenho deposto Manuel Zelaya partiu de Washington e se aproximava de Tegucigalpa neste domingo em uma tentativa de recuperar o poder. Zelaya foi derrubado em um golpe militar há uma semana.

AE, Agencia Estado

05 de julho de 2009 | 20h10

Falando de dentro do avião à emissora Telesur, Zelaya disse que estava a apenas alguns minutos de pousar na capital de Honduras. Ao mesmo tempo, a polícia hondurenha informou que pelo menos duas pessoas morreram e duas ficaram feridas em choques entre simpatizantes de Zelaya e soldados hondurenhos nas proximidades do aeroporto de Tegucigalpa.

Mais cedo, o presidente deposto afirmou ter pedido ao comando das Forças Armadas que permita o pouso da aeronave. "Sou o comandante-em-chefe das Forças Armadas, eleito pelo povo, e pedi a elas que cumpram a ordem de abrir o aeroporto para que não haja problema para descer e confraternizar com meu povo", declarou.

Apoio

Pouco depois da notícia da decolagem, milhares de simpatizantes de Zelaya começaram a se dirigir ao aeroporto na tentativa de recebê-lo. Houve confronto entre manifestantes e soldados. De acordo com a polícia local, há pelo menos dois mortos e dois feridos.

Zelaya viaja acompanhado do presidente da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o nicaraguense Miguel D''Escoto, desafiando uma ordem do governo que assumiu após o golpe para que o avião seja impedido de entrar em Honduras. Também viajam com o presidente deposto a chanceler Patricia Rodas, o embaixador hondurenho na Organização dos Estados Americanos (OEA) Carlos Sosa, dois jornalistas e um guarda-costas.

Minutos depois, um avião levando o presidente do Equador, Rafael Correa, a presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, e o secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, partiu de Washington para acompanhar o retorno de Zelaya. Mas a aeronave levando Correa, Cristina e Insulza desceria em El Salvador, e não em Tegucigalpa. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ZelayaHondurasgolpe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.