REUTERS/Darrin Zamit-Lupi
REUTERS/Darrin Zamit-Lupi

Avião líbio é sequestrado e levado para Malta com 118 pessoas a bordo

Imprensa local diz que há dois sequestradores armados com granadas que ameaçam explodir aeronave

O Estado de S.Paulo

23 Dezembro 2016 | 09h56

VALLETTA - Um avião que fazia um voo doméstico na Líbia foi sequestrado e levado para Malta, onde pousou nesta sexta-feira, 23, relatou a mídia maltesa. O Airbus A320 voava pela companhia aérea estatal Afriqiyah Airways com 118 pessoas a bordo, segundo reportagens, das quais 109 já foram libertadas. 

Os dois sequestradores disseram que têm granadas e ameaçam explodir a aeronave, informaram veículos de imprensa locais como o Times of Malta. "Informado da possível situação de sequestro em um voo interno líbio desviado para Malta. Operações de segurança e emergência em espera”, afirmou o primeiro-ministro de Malta, Joseph Muscat, em sua conta no Twitter.

Um membro do Parlamento líbio que conversou com um colega a bordo da aeronave informou que os sequestradores têm cerca de 20 anos e são do Tebu, grupo étnico presente no sul do país, de onde o avião partiu.

Um dos sequestradores teria dito que é "pró-Kadafi" e estaria disposto a libertar todos os 111 passageiros, mas não os 7 membros da tripulação, se suas exigências fossem cumpridas, as quais não foram detalhadas. O ex-líder da Líbia Muamar Kadafi foi morto em uma revolta em 2011, e o país tem sofrido desde então com a violência de algumas facções locais.

Todos os voos que deveriam aterrissar no Aeroporto Internacional de Malta foram cancelados ou desviados. Autoridades informaram que equipes de emergência foram enviadas ao local.  /REUTERS, ASSOCIATED PRESS e EFE

Mais conteúdo sobre:
Malta Sequestro avião Líbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.