Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
EFE/EPA/NATIONAL POLICE
EFE/EPA/NATIONAL POLICE

Avião militar cai na Espanha e mata 4

Airbus A400M de transporte militar caiu em Sevilha com seis pessoas a bordo; foi o primeiro acidente fatal envolvendo a mais nova transportadora de tropas e carga pesada da Europa

O Estado de S.Paulo

09 de maio de 2015 | 11h33

SEVILHA, ESPANHA - Um Airbus A400M de transporte militar caiu em Sevilha neste sábado, 9, matando pelo menos quatro dos seis que estavam a bordo, segundo uma autoridade do governo. Foi o primeiro acidente fatal envolvendo a mais nova transportadora de tropas e carga pesada da Europa.

O avião estava em voo de teste quando caiu em um campo a 1,6 quilômetro do Aeroporto San Pablo, de Sevilha, disse o serviço de emergência. Duas pessoas estavam gravemente feridas, afirmou uma porta-voz do governo. Acreditava-se mais cedo que havia dez pessoas a bordo. 

Um porta-voz da Airbus e uma porta-voz do governo não quiseram comentar a causa do acidente. Imagens da mídia mostraram uma coluna de fumaça preta saindo do local do acidente e bombeiros pulverizando os destroços em um campo arado.
O primeiro-ministro Mariano Rajoy, em campanha pelas eleições locais do dia 24, disse mais cedo a jornalistas que "parecia que todos a bordo trabalhavam para a Airbus" e não eram membros da equipe militar. Ele cancelou suas atividades políticas para o dia.

A fabricante europeia Airbus informou que o avião de transporte, que é montado em Sevilha, foi ordenado pela Turquia, e a companhia enviou pessoal para o local da queda.

O Atlas 400M foi desenvolvido pela Espanha e outras seis nações da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) - Bélgica, Grã-Bretanha, França, Alemanha, Luxemburgo e Turquia - a um custo de 20 bilhões de euros, no maior projeto de aliança para defesa da Europa. Ele entrou em serviço em 2013, após um atraso de mais de três anos.

O ministério da Defesa da Grã-Bretanha disse que suspendeu temporariamente os voos com sua frota de dois aviões de transporte A400M, como medida de precaução até que se saiba mais sobre o motivo da queda da aeronave.

A Airbus tem encontrado dificuldades no desenvolvimento e produção do avião. O programa foi executado com custos maiores e atraso. O acidente ocorre durante um período difícil para o programa. Em janeiro, a Airbus substituiu o chefe da unidade de aviões militares em razão de problemas técnicos e de produção na aeronave.

A Airbus vendeu 174 dos aviões de carga militares, com pedidos de oito países. O primeiro foi entregue à Força Aérea Francesa em 2013. A Turquia, a Grã-Bretanha e a Alemanha estão entre os países que receberam aviões de transporte A400M.

A fabricante de aviões estava começando a promover agressivamente os aviões nos mercados em todo o mundo, na esperança de obter mais encomendas. A Airbus considerou, em um momento, abandonar o programa devido a derrapagens de custos. / REUTERS e DOW JONES NEWSWIRES

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaAirbus A400MTurquiaOtan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.