Avião pega fogo ao pousar no Sudão

Pelo menos 28 das 217 pessoas a bordo morreram e 123 sobreviveram; autoridades investigam hipótese de falha técnica

Cartum, O Estadao de S.Paulo

11 de junho de 2008 | 00h00

Um Airbus A310 da Sudan Airways com 203 passageiros e 14 tripulantes pegou fogo ontem à noite, depois de aterrissar sob uma tempestade de areia no aeroporto internacional de Cartum, no Sudão. Segundo o general Mohamed Osman Mahjoub, chefe do serviço médico do aeroporto, pelo menos 28 pessoas morreram e 123 sobreviveram. Ele disse não ter informações sobre as outras 66. Inicialmente, Mahjoub havia falado em 120 mortos, mas depois afirmou que esse total era "incorreto". O avião havia decolado de Damasco, capital síria, e feito escala em Amã, na Jordânia. Segundo Raqeeb Abdel-Latif, responsável pelo escritório da Sudan Airways na Síria, mais 34 passageiros subiram a bordo antes de o avião seguir para Cartum.O chefe da polícia sudanesa, Mohammad Najib, culpou o mau tempo pelo acidente - o piloto do avião chegou a adiar em uma hora o pouso por causa da tempestade de areia, que restringia a visibilidade na capital sudanesa. No entanto, Youssef Ibrahim, o diretor do aeroporto, afirmou à rede de televisão Al-Jazira que a aeronave aterrissou com segurança e o piloto ainda conseguiu se comunicar com a torre de controle. "Mas, nesse momento, um dos motores explodiu e o avião pegou fogo", assinalou Ibrahim. "Acredito que pode ter sido uma falha técnica."Abbas al-Fadini, um integrante do Parlamento sudanês que estava no avião, afirmou que havia chamas também dentro da aeronave. "O fogo começou no motor direito e depois se espalhou para dentro do avião", disse Al-Fadini, que estava sentado na parte de frente do Airbus e foi um dos primeiros a conseguir sair. "Não sobrou nada do avião, ele queimou rapidamente", acrescentou o parlamentar. "Acredito que o combustível e a alta temperatura local tenham contribuído para o incêndio no avião." Outro passageiro, cuja identidade não foi divulgada, confirmou ter notado uma explosão na asa direita minutos após o pouso em Cartum.SEGURANÇA AÉREAO Sudão têm um histórico ruim de segurança aérea. Em maio, um avião Beechcraft 1900 caiu em uma área remota no sul do país, matando 24 passageiros. Em julho de 2003, um Boeing 737 da Sudan Airways caiu logo após a decolagem em Cartum, deixando 115 mortos. Depois desse acidente, o governo culpou as sanções econômicas contra o país - adotadas pela comunidade internacional, por causa do conflito na região de Darfur -, que restringiam a compra de peças para a manutenção das aeronaves. O Departamento de Estado dos EUA desmentiu existir alguma proibição para a compra de equipamentos de segurança aérea.AP, AFP, EFE E REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.