AFP PHOTO / John WAULDRON
AFP PHOTO / John WAULDRON

Avião sem passageiros é roubado de aeroporto e cai minutos após decolagem nos EUA

Polícia de Seattle descartou terrorismo; homem que roubou aeronave era funcionário de uma companhia aérea

O Estado de S.Paulo

11 Agosto 2018 | 02h30
Atualizado 13 Agosto 2018 | 18h36

SEATTLE, EUA - O trabalhador de uma companhia aérea roubou um avião vazio do Aeroporto Internacional de Seattle-Tacoma, nos EUA, na noite da sexta-feira 10, em um episódio que acabou com a queda da aeronave a 48 quilômetros do aeroporto.

As autoridades descartaram se tratar de um ato terrorista. O homem, de 29 anos, agiu sozinho. Nenhuma outra pessoa que estava em solo morreu ou ficou ferida na queda do avião. 

Duas aeronaves militares F-15 perseguiram o avião roubado após a decolagem, mas não foram responsáveis por sua queda, informou a polícia no condado de Pierce. 

Segundo a imprensa local, o homem que sequestrou o avião, um bimotor Q400, era mecânico de uma companhia aérea. A Alaska Airlines divulgou um comunicado afirmando que ele havia sido empregado pela Horizon Air, sua subsidiária. 

A aeronave caiu perto da Ilha Ketron, a sudoeste do aeroporto. Imagens de uma TV local mostraram uma área arborizada em chamas, onde estariam os destroços do avião. 

A morte do piloto que roubou a aeronave foi confirmada pelas autoridades.  A tese de suicídio foi levantada após as autoridades obterem aúdios gravados pelo piloto, durante o voo, nos quais informa aos controladores de tráfego aéreo que era apenas um "cara doente".

Nas gravações, o homem, identificado apenas como "Rich", disse que não pousaria na base militar de Seattle, mas estava preocupado por não ter combustível suficiente para ficar muito tempo no ar. Ele chegou a brincar com os controladores ao perguntar se a empresa aérea o contrataria como piloto se conseguisse pousar o avião em segurança.

Um vídeo exibido neste sábado, 11, mostrava o avião dando uma volta no ar e depois sobrevoando em baixa altitude, próximo à água. 

O xerife Paul Pastor, do condado de Pierce, afirmou à agência Associated Press que o piloto da aeronave havia “feito algo tolo e deve ter pago com a vida”, sem confirmar se o caso foi um suicídio.

Pedestres filmaram o avião rodopiando, mergulhando no ar e rolando sobre o estreito de Puged, enseada na costa de Seattle, no começo da noite de sexta-feira. Ontem, as operações no aeroporto Seattle-Tacoma foram retomadas.

A porta-voz da Casa Branca Sarah Huckabee Sanders afirmou que o presidente Donald Trump foi informado do caso neste sábado e acompanha as investigações. / NYT, AP e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.