Suliman el-Oteify/AP
Suliman el-Oteify/AP

Avião russo não foi atingido por algo externo, diz fonte

Após análise preliminar das caixas-pretas, fonte afirmou que o piloto não emitiu um pedido de socorro antes de a aeronave desaparecer do radar

O Estado de S. Paulo

02 de novembro de 2015 | 14h41

CAIRO - O avião russo que caiu no Egito no sábado não foi atingido por algo externo e o piloto não emitiu um pedido de socorro antes de o aparelho desaparecer do radar, disse nesta segunda-feira, 2, uma fonte na comissão que analisa os registros de voo.

A fonte não quis dar mais detalhes, mas baseou seus comentários na análise preliminar das caixas-pretas recuperadas do Airbus A321 que caiu na península do Sinai matando todas as 224 pessoas a bordo.

Na aviação civil uma fonte informou apenas que os investigadores egípcios, auxiliados por especialistas russos e franceses, ainda não haviam terminado de examinar as caixas-pretas.

Autoridades russas disseram que o avião, transportando turistas do balneário turístico de Sharm el-Sheikh, no Mar Vermelho, para São Petersburgo, provavelmente se partiu ao meio no ar, mas disseram que ainda é muito cedo para apontar o que causou a tragédia.

Os primeiros corpos recuperados dos destroços chegaram a bordo de um avião do governo russo ao Aeroporto de Pulkovo, em São Petersburgo, onde pessoas deixaram muitas flores.

Eles devem ser encaminhados para o necrotério de São Petersburgo, onde serão identificados.

De acordo com agências de notícias russas, o avião trouxe 144 corpos e uma segunda aeronave do governo iria o deixar o Cairo na noite desta segunda-feira. 

Companhia aérea. Na manhã desta segunda-feira, a companhia aérea Kogalimavia, responsável pelo avião, disse que uma falha técnica ou um erro humano não podem ter causado o acidente. De acordo com o diretor geral da Kogalimavia, Alexander Smirnov, a causa do desastre "só pode ter sido um impacto externo no avião."

"Tudo indica que desde o começo da catástrofe a tripulação perdeu o controle total do avião", disse Smirnov numa coletiva de imprensa. Ele também afirmou que os pilotos não tentaram entrar em contato por rádio com os controladores aéreos em terra.

Questionado sobre que tipo de impacto poderia ter provocado a queda, Smirnov disse que não tinha liberdade para discutir os detalhes enquanto a investigação estiver em andamento. /REUTERS e AFP


Tudo o que sabemos sobre:
aviãoacidente aéreoinvestigação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.