Avião usado por contato russo não tem polônio, diz empresa

Testes mostram que mão há traços do elemento radioativo polônio-210 no avião usado pelo contato do ex-agente russo Alexander Litvinenko, que morreu envenenado por esse material. O contato, Dmitry Kovtun, foi de Hamburgo para Londres a bordo de um Airbus A319, em 1º de novembro, informam autoridades alemãs. Este foi o mesmo dia em que Litvinenko começou a manifestar os sintomas do envenenamento.Mais cedo, autoridades alemãs haviam informado a descoberta de traços de radiação em dois locais da região de Hamburgo, ligados a Kovtun. A polícia disse ter encontrado traços de radiação alfa no apartamento da ex-mulher do contato.Os policiais também disseram que uma varredura inicial mostrou contaminação de uma casa em Haselau, a oeste de Hamburgo, que pertence à mãe da ex-mulher. As autoridades iniciaram as investigações após a mídia divulgar que Kovtun havia partido de Hamburgo rumo a Londres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.