Aviões civis de Israel terão sistema antimísseis

Aeronaves da El Al e de outras duas companhias aéreas israelenses terão novo sistema de defesa antimísseis, segundo informações de um funcionário da segurança de Israel passadas à Reuters. O Knesset adotou as novas medidas por temer que armas sofisticadas saqueadas durante os conflitos na Líbia acabem caindo nas mãos de grupos radicais como o Hamas, que controla a Faixa de Gaza.

JERUSALÉM, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2011 | 03h06

Reportagem do diário israelense Haaretz, publicada no mês passado, já havia alertado para a sofisticação das armas que já estão com o Hamas, o que preocupa o Ministério da Defesa israelense. O grupo teria contrabandeado, da Rússia para a Faixa de Gaza, mísseis relativamente avançados roubados de depósitos militares na Líbia durante o conflito.

As companhias aéreas israelenses serão equipadas com um sistema conhecido como C-Music, que utiliza laser para "cegar" mísseis guiados por calor, a um custo de pelo menos US$ 1 milhão por avião, que será pago pelo governo.

"Há muito tempo nós sabemos dessa ameaça", disse o funcionário israelense. Citando um levantamento feito pela inteligência da Líbia, ele disse que o caos dos conflitos, que levaram à queda do ditador Muamar Kadafi, facilitaram o tráfico de mísseis, como o SA-7 - disparado do ombro, que pertence à mesma família do Stinger -, para os territórios palestinos e para grupos ligados à Al-Qaeda na Península do Sinai, no Egito.

Os aviões da El Al usam um sistema antimísseis menos avançado desde que a Al-Qaeda tentou abater um avião cheio de turistas israelenses no Quênia, em 2002. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.