Aviões israelenses atacam Cidade de Gaza

Aviões de guerra israelenses atacaram nas primeiras horas de sexta-feira um edifício da polícia palestina, pondo fim a dois dias de interrupção de ataques militares em represália aos atentados suicidas do fim de semana em Israel.Bombas explodiram ao atingir o quartel general da polícia civil palestina. Nuvens de fumaça e pó se ergueram e ambulâncias foram chamadas ao local. A onda expansiva quebrou janelas num raio de 200 metros. Cerca de 20 pessoas ficaram feridas, entre eles 18 policiais e dois civis, e foram feridos e levados a um hospital, mas os médicos informaram que ninguém ficou gravemente machucado.Algumas famílias que vivem em apartamentos perto do quartel general fugiram e se esconderam em prédios e em uma garagem das Nações Unidas (ONU).Os ataques aconteceram perto das 3 horas (23 horas, pelo horário de verão). Em novembro, mês do Ramadã, muitos muçulmanos estão acordados nesse horário para fazer uma refeição antes do amanhacer. Durante o Ramadã é proibido comer, fumar e manter relações sexuais do amanhecer até o pôr-do-sol."Este novo crime israelense acontece enquanto a Polícia palestina realiza esforços máximos para salvaguardar a segurança e continuar aplicando as medidas drásticas adotads por Arafat contra os militantes", disse a polícia em uma declaração.O Exército de Israel, por sua vez, disse em uma declaração que a incursão tinha como alvo "o dispositivo de segurança palestina, que apóia e ajuda as operações palestinas. O Exército continuará suas operações com o objetivo de defender a segurança e os cidadadãos israelenses".Israel ameaçou continuar com os ataques e o presidente da Autoridade Palestina, Yasser Arafat, não prender os militantes islâmicos responsáveis pela última onda de atentados terroristas em Israel, que deixaram 26 mortos e mais de 200 feridos no último fim de semana.Arafat disse ter prendido cerca de 180 militantes desde o domingo, mas os israelenses dizem que esses suspeitos não são os verdadeiros mentores dos ataques contra os judeus.Em outra incursão, três tanques israelenses e um veículo blindado entraram durante a noite no vilarejo de Abssan, ao sul da Faixa de Gaza. De acordo com testemunhas, os soldados israelenses prenderam 10 pessoas. Entre os detidos, estava um jornalista da agência de notícias palestina WAFA e um major palestino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.