Aviões não tripulados dos EUA matam 21 militantes no Paquistão

Mísseis de dois aviões teleguiados norte-americanos mataram ao menos 21 supostos militantes no Waziristão do Sul na segunda-feira, disseram autoridades paquistanesas, como parte de uma operação dos Estados Unidos que foi intensificada nessa região tribal neste mês.

HAFIZ WAZIR, REUTERS

27 de junho de 2011 | 16h40

No primeiro ataque, um míssil atingiu um veículo em movimento no vilarejo de Ghalmandi Panga, na fronteira afegã, matando oito militantes.

Poucas horas mais tarde, outro avião não tripulado disparou três mísseis contra um centro de treinamento militante na cidade de Mantoi, cerca de 30 quilômetros ao norte de Wana, a principal cidade do Waziristão do Sul.

"Era um complexo grande usado como centro de treinamento. Militantes cercaram a área e os corpos estão sendo retirados dos destroços," disse à Reuters um funcionário da inteligência na região, que não quis se identificar. Treze militantes morreram no segundo ataque.

Outro funcionário disse que o número de vítimas deve aumentar. Não havia formas de checar o número de mortes de forma independente. Os militantes com frequência contestam os números oficiais de vítimas.

Forças norte-americanas intensificaram os ataques a partir de aviões controlados remotamente nas regiões de fronteira do Paquistão depois da morte de Osama bin Laden pelas forças dos EUA no país no mês passado.

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOATAQUESEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.