Aviões que sobrevoarem Lima durante visita de Bush serão derrubados

Qualquer aeronave que sobrevoar Lima durante a visita do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush - prevista para sábado e domingo -, será derrubada no ato, advertiu o ministro do Interior peruano, Fernando Rospigliosi. Falando hoje aos jornalistas, o ministro disse que essa diretriz faz parte das severas medidas de segurança que serão adotadas pelo governo peruano, em coordenação com o serviço secreto americano, para evitar qualquer atentado contra o presidente dos Estados Unidos. "A visita de Bush chama a atenção de qualquer grupo terrorista ou pró-terrorista e não podemos nos dar ao luxo de correr nenhum risco. A polícia cerca de 7.000 homens - estará muito atenta para impedir qualquer ato de violência", disse Rospigliosi.Ele indicou que os únicos aparelhos que sobrevoarão a capital durante a visita de Bush serão os helicópteros da polícia, encarregados de observar os movimentos em torno dos locais onde permanecerá o visitante - entre eles, a sede do governo e as ruas por onde passará. A proibição para sábado e domingo estende-se a aviões (grandes ou pequenos), helicópteros, planadores, parapentes e até mesmo equipamento de asa delta. E "qualquer aeronave que infringir esta proibição será derrubada no ato" por aviões militares, afirmou Rospigliosi. Segundo o ministro, Bush chegará à capital peruana no sábado "com uma comitiva de centenas de pessoas, por volta das 16h00 (hora local); por esse motivo, os vôos comerciais no aeroporto internacional Jorge Chávez serão suspensos desde umas quatro horas antes". Rospigliosi explicou que a área central de Lima, onde se encontra o Palácio do Governo, onde Bush se encontrará com o presidente peruano Alejandro Toledo, será declarada área restrita durante a tarde e noite de sábado, enquanto o governante americano se encontrar ali. Nessa zona também não será permitido o trânsito de pedestres nem de veículos, e "os edifícios em torno do palácio serão registrados e os indivíduos suspeitos serão detidos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.