Aviões sírios atacam campo de refugiados palestinos

Aviões da Força Aérea da Síria bombardearam um campo de refugiados palestinos ao sul de Damasco neste domingo, no primeiro ataque desse tipo desde que começou o conflito entre rebeldes sírios e o governo do presidente Bashar al-Assad. Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, sediado em Londres, o ataque ao campo de Yarmuk deixou pelo menos oito civis mortos.

Agência Estado

16 de dezembro de 2012 | 17h05

Abu Mohammed, morador do campo de Yarmuk, informou pela internet que "há um verdadeiro estado de guerra agora no campo. Há batalhas intensas entre o Exército Sírio Livre, dos rebeldes, e a Frente Popular para a Libertação da Palestina-Comando Geral". O Observatório Sírio de Direitos Humanos também disse que militantes da FPLP-CG, uma organização de comunistas palestinos, está em combate com unidades dos rebeldes sírios.

Moradores do campo de refugiados de Yarmuk disseram que um míssil atingiu a mesquita Abdel Qader Husseini, que abrigava cerca de 600 pessoas que haviam deixado suas casas por causa dos combates. Vídeos amadores disponibilizados na internet mostram o chão da mesquita coberto de cacos de vidro e os corpos ensanguentados de vítimas depositados na entrada.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, aviões da Força Aérea síria também bombardearam posições dos rebeldes nos bairros próximos de Al-Hajar al-Aswad e Assali.

Em Paris, o ministro das Relações Exteriores da França, Laurent Fabius, disse em entrevista à emissora estatal francesa RFI que "o fim está próximo" para o governo de Bashar al-Assad. Segundo Fabius, quanto mais o conflito se prolongar, maiores são as chances de aumentar o extremismo na região.

"Existe caos agora, não amanhã. Não há caos mais destrutivo do que Al-Assad", afirmou o ministro francês; ele acrescentou que é importante ter uma alternativa de poder preparada para assegurar uma transição suave para um novo regime na Síria.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaPalestinaataques

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.