Baby Doc comparece a audiência no Haiti

O ex-ditador Jean-Claude Duvalier, o "Baby Doc", compareceu pela primeira vez a um tribunal para uma audiência na qual deverá ser decidido se ele será acusado por corrupção, apropriação de recursos públicos e violações dos direitos humanos durante seu regime, que durou de 1971 a 1986 e no qual milhares de pessoas foram torturadas assassinadas pela milícia dos Tonton Macoute.

AE, Agência Estado

28 de fevereiro de 2013 | 14h50

Dezenas de apoiadores de Duvalier saudaram o ex-ditador quando ele chegou ao tribunal em Porto Príncipe. Os tribunais haitianos tentam levar o Baby Doc a julgamento desde que ele voltou ao país após 25 anos de exílio na França, em 2011, mas ele não compareceu às três audiências para as quais foi convocado.

Em janeiro do ano passado, um tribunal de primeira instância havia decidido que Duvalier só poderia ser julgado sob as acusações de corrupção e apropriação de recursos públicos, e não pelas de assassinato, sequestro e tortura, porque os crimes cometidos já estavam prescritos. Entidades de defesa dos direitos humanos e familiares de vítimas do regime contestaram essa decisão.

Baby Doc tinha apenas 19 anos de idade ao assumir a Presidência do Haiti em caráter vitalício como sucessor de seu pai, François Duvalier, o "Papa Doc", que havia governado o país desde 1957 até morrer, em 1971. Pelo menos 30 mil pessoas foram mortas pelo regime de Papa Doc. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
HaitijulgamentoBaby Doc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.