Baby Doc quer ter papel político no Haiti, diz advogado

O ditador deposto Jean-Claude "Baby Doc" Duvalier planeja ficar no Haiti e ter algum tipo de papel político, afirmou o advogado dele, Reynold Georges, em entrevista hoje à France Presse. "Ele ficará no Haiti para sempre, é sua história. E tomar parte na política, isso é certo. Um político nunca morre", disse. Georges concedeu a entrevista enquanto Baby Doc, que chocou os haitianos ao retornar à ilha caribenha no domingo, após quase 25 anos no exílio, permanecia em seu quarto de hotel.

AE, Agência Estado

19 de janeiro de 2011 | 14h50

O ex-presidente, deposto em um levante popular em 1986, foi acusado ontem por corrupção e desvio de fundos públicos durante os 15 anos em que comandou o país. Ele foi duramente questionado por promotores. No entanto, Georges rebateu as acusações, argumentando que elas já haviam prescrito. "Nós não podemos voltar a essas coisas, é proibido pela lei", afirmou. "É perseguição", acrescentou ele, afirmando que o presidente René Préval está por trás das acusações contra Duvalier. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HaitiBaby Docadvogado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.