Bachelet e Calderón defendem maior integração da AL

Os presidentes do Chile e México, Michelle Bachelet e Felipe Calderón, reafirmaram o seu desejo de trabalhar mais unidos pela integração na América Latina, na segunda-feira, 19.Na cerimônia oficial de boas-vindas a Bachelet, na noite de segunda-feira no Palácio Nacional mexicano, os dois chefes de Estado se mostraram dispostos a aprofundar a colaboração política, econômica e cultural na América Latina."Nossos países são orgulhosamente latino-americanos e orgulhosamente democratas, decididos a promover uma integração que se traduza em novas oportunidades de desenvolvimento para toda a região", disse Calderón em sua mensagem.Para ele, México e Chile são "nações democráticas, que compartilham valores como o respeito irrestrito ao Estado de Direito e a defesa das liberdades individuais e dos direitos humanos".Acrescentou que os dois podem incentivar juntos "uma nova e destacada presença latino-americana no cenário internacional" buscando no mundo globalizado um desenvolvimento "com justiça e eqüidade"."Construir nosso futuro não é questão de direita nem de esquerda, e sim de um alto sentido de responsabilidade social como o de Gabriela Mistral e José Vasconcelos", disse o conservador Calderón à socialista Bachelet, lembrando a obra da poeta chilena e do escritor mexicano.BacheletA presidente chilena destacou o consenso com o México em assuntos como "o fortalecimento da democracia e do Estado de Direito", a resolução pacífica de conflitos, o desarmamento, a não-proliferação e a condenação do terrorismo."Podemos nos consolidar como parceiros estratégicos que se projetam com a América Latina, rumo à região da Ásia-Pacífico, à Europa e ao mundo. Temos uma visão compartilhada dos desafios e tarefas que enfrentamos", acrescentou."Por isso é perfeitamente possível imaginarmos no futuro os dois países como parceiros que caminham juntos no campo social, político e econômico", disse Bachelet.Ela aproveitou seu primeiro ato oficial no México para agradecer pelo amparo que o país deu "a milhares de chilenos após o golpe militar de 1973".Nos próximos dois dias Bachelet e Calderón vão reforçar o Acordo de Associação Estratégica (AAE) assinado poir eles em janeiro de 2006, e promover outros em novas áreas de cooperação."Sem dúvida uma integração maior facilitará o trabalho conjunto para enfrentar novos desafios", disse Bachelet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.