Bachelet e Correa prometem reforçar Unasul

Os presidentes do Chile e do Equador, Michelle Bachelet e Rafael Correa, respectivamente, prometeram fortalecer o processo de integração liderado pela União de Nações Sul-americanas, Unasul. Correa está no Chile para una visita oficial de dois dias.

AE, Agência Estado

14 Maio 2014 | 14h21

Durante uma coletiva de imprensa conjunta realizada no palácio do governo de La Moneda, os dois presidentes foram questionados se o processo de integração regional está perdendo vigor.

Bachelet respondeu que a intenção de seu governo é trabalhar "para fortalecer, reforçar todas as tarefas que a Unasul tem seguido, levando-as adiante". "Acreditamos que isso é indispensável por várias razões".

Segundo ela, o mundo está passando por diversas mudanças e "queremos ter participação também nestas decisões globais". "Se há uma percepção de que está se desacelerando, o que é preciso fazer é colocar novamente um motor e trabalhar com força por isso".

Correa afirmou que o processo de integração pode ter perdido força, mas isso não ocorreu por falta de vontade dos governos, dos mandatários, e sim por fatores vão além da "nossa intenção".

"Ocorreram coisas que levaram à desaceleração da integração", disse Correa, ao citar as mortes de Néstor Kirchner, da Argentina, e de Hugo Chávez, da Venezuela. O atual secretário-geral da Unasul, o venezuelano Alí Rodríguez, "está gravemente doente".

"Isso não deve nos desanimar, mas nos comprometer a reunir esforços para retomar o dinamismo desta integração", disse o presidente do Equador.

Unasul é composta por Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Chile, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Chile Equador Unasul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.