Bachelet elege América Latina como prioridade

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, afirmou nesta segunda-feira que a América Latina será prioridade em sua política externa e defendeu um aprofundamento na integração da região, além de manter o compromisso de apoiar a candidatura do Brasil a um assento permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas. Consultada sobre o eventual apoio do Chile a uma candidatura mexicana como membro não-permanente do Conselho, Bachelet observou que há mais de um candidato da região ao posto e que o Chile não decidiu ainda seu candidato. Mas gostaria que a América Latina chegasse com um só candidato às Nações Unidas. "Desenvolveremos uma política externa em que a América Latina tenha um papel transcendental. Queremos continuar a desenvolver uma identidade regional", afirmou Bachelet, na sua primeira entrevista coletiva como presidente, em que destacou também as boas relações que pretende manter com Luiz Inácio Lula da Silva. Ela acrescentou que durante seu governo de quatro anos continuará apoiando todas as instâncias regionais de integração, para avançar no desenvolvimento e resolver, além disso, muitos dos problemas de cada país. A governante confirmou que sua primeira viagem ao exterior será à Argentina e Uruguai, na próxima semana. "Poderão mudar os governantes, mas a geografia se mantém. Somos vizinhos históricos e, portanto, com a Argentina sempre vamos ter uma grande unidade", disse, ao explicar as razões da viagem. Em nível internacional, ela pretende formar alianças com os países com os quais houver critérios coincidentes para otimizar metas da política externa, como a paz, os direitos humanos, a democracia e a luta contra a pobreza. Também destacou as relações com os países da Ásia, Pacífico e a União Européia, e anunciou que assistirá à Cúpula América Latina-UE que será realizada em Viena, no fim de maio. No terreno interno, a presidente anunciou que a partir de amanhã, em cumprimento de seu programa, os maiores de 60 anos serão atendidos gratuitamente em todos os hospitais do país e prometeu em breve oferecer acesso automático a pensões assistenciais para todos eles.

Agencia Estado,

13 Março 2006 | 18h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.