Bachelet faz reunião de segurança após explosão no metrô

Cerca de 30 bombas explodiram neste ano na capital chilena, Santiago

Estadão Conteúdo

09 de setembro de 2014 | 12h50

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, realizou nesta terça-feira uma reunião com seus conselheiros, após a explosão uma bomba no metrô da capital ter deixado 14 pessoas feridas no dia anterior. O alvo do ataque foi um restaurante de fast-food nas proximidades de uma movimentada estação de metrô de Santiago.

Cerca de 30 bombas explodiram neste ano na capital chilena, mas a de segunda-feira foi a que provocou mais danos, além de ter sido o pior ataque desde a volta do país à democracia, em 1990.

Nenhum grupo havia assumido a responsabilidade pela explosão, mas muitas das explosões anteriores foram reivindicadas por grupos anarquistas.

O governo chileno invocou a dura lei antiterrorismo do país que permite que suspeitos sejam mantidos em isolamento, sem acusação formal. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ChilemetrôexplosãoBacheletreunião

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.