Bachelet reitera necessidade de reformas no Chile

A nova presidente do Chile, Michelle Bachelet, disse nesta quarta-feira que manterá suas promessas de fazer profundas mudanças para reduzir a profunda desigualdade no país, mesmo em um momento de desaceleração da economia chilena.

AE, Agência Estado

12 de março de 2014 | 18h33

Bachelet disse que "a real ameaça ao Chile" seria não dar seguimento à reforma planejada. A líder chilena foi empossada na terça-feira. Ela prometeu um programa de investimentos de US$ 15 bilhões para reforma educacional, melhoria do serviço de saúde e redução da diferença entre ricos e pobres.

A presidente planeja financiar a reforma da educação aumentando tributos sobre corporações e mudar a Constituição da época da ditadura para tornar o Congresso mais representativo.

O Chile é o maior produtor mundial de cobre e é conhecido pelo alto crescimento e baixo desemprego. Entretanto, o país tem enfrentado a desaceleração da economia e o recuo dos preços do metal. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
chilereformasbacheletdesaceleração

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.