Bagdá considera necessária nova estratégia dos EUA

O governo de Bagdá considerou a nova estratégia dos Estados Unidos no Iraque como "uma necessidade" e a qualificou de "positiva" porque inclui uma nova tática destinada a recuperar a estabilidade e a segurança do país.O novo plano, anunciado na quarta-feira pelo presidenteamericano, George W. Bush, inclui o envio de 21.500 novos soldados ao Iraque, o reforço do papel que a minoria sunita desempenha no processo político e a distribuição das receitas petrolíferas."A nova estratégia dos Estados Unidos é uma necessidade para proteger os cidadãos iraquianos", afirmou Ali Dabbagh, porta-voz do governo liderado pelo primeiro-ministro iraquiano, o xiita Nouri al-Maliki.Dabbagh fez estas declarações em entrevista coletiva sobre a reação do governo iraquiano à nova estratégia dos EUA, que têm 132 mil soldados mobilizados no Iraque.O objetivo principal da nova estratégia, que enfrenta a oposição dos democratas no Congresso dos EUA, é acabar com o terrorismo e a violência sectária, que já provocaram milhares de mortes.Segundo Dabbagh, a nova estratégia americana no Iraque levou em conta as opiniões do governo iraquiano e "tem passos positivos"."Se virmos que há algum assunto (na nova estratégia) que não é adequado para a situação iraquiana, nos dirigiremos à Administração americana para que o altere", acrescentou o porta-voz.Dabbagh reconheceu que os povos iraquiano e americano não querem a estadia das tropas americanas no Iraque. "Assim que o governo iraquiano for capaz de assumir a segurança", pedirá a retirada das tropas americanas e da coalizão do Iraque, acrescentou.A este respeito, Bush afirmou em seu discurso que a segurança será transferida em novembro às tropas iraquianas nas quinze províncias do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.