Bagdá segue sob bombardeio cerrado

Bagdá, a capital iraquiana, tem sido bombardeada ininterruptamente desde sábado. Os ataques desta segunda-feira se concentraram na região da cidade onde ficam o Ministério da Informação e um dos palácios de Saddam Hussein, utilizado por um dos filhos do ditador, Qusai. Segundo o Pentágono, também foram bombardeados o quartel-general da inteligência e possíveis refúgios de combatentes da Guarda Republicana.Mas os mísseis e bombas da coalizão têm atingido também bairros residenciais e, segundo a emissora de TV do Catar Al-Jazira, causado a morte de dezenas de civis. Entre essas vítimas dos bombardeios de hoje, ressalta a emissora, há pelo menos quatro crianças.Segundo outro relato, um míssil atingiu no sábado uma área rural na periferia de Bagdá, causando a morte de 20 pessoas - 11 delas, crianças.As colunas de fumaça predominam no cenário da cidade. Os impactos foram sentidos hoje com maior intensidade no norte da capital, atingida por cinco mísseis em menos de 15 minutos.A bateria antiaérea iraquiana foi acionada durante os bombardeios de hoje, mas não conseguiu evitar os ataques. Além de disparos de mísseis de cruzeiro Tomahawk, nas ofensivas de hoje foram utilizados também bombadeiros B-2 e B-52.Segundo números fornecidos pelo regime iraquiano, mais de 400 civis morreram e milhares ficaram feridos nos bombardeios a Bagdá, sem que ainda tenha começado a invasão da cidade pela infantaria.Na semana passada, os bombardeios causaram pesadas baixas civis, ao atingirem dois mercados em áreas residenciais da capital iraquiana. No primeiro desses incidentes, morreram 16 civis, mas os porta-vozes da coalizão dizem ainda estar investigando a origem do ataque, dando a entender que as mortes podem ter sido causadas pelos militares iraquianos.No segundo, na sexta-feira, 65 pessoas morreram - segundo números do regime iraquiano - num ataque a outro mercado. Dessa vez, o Comando Central americano reconheceu que a área atingida poderia estar entre seus alvos.Americanos e britânicos acusam o regime iraquiano de instalar equipamentos militares em áreas residenciais e responsabilizam Saddam Hussein pela morte de civis. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.