Bahrein derruba monumento na Praça da Pérola, símbolo dos protestos

Tropas do governo já expulsado manifestantes do local na última quarta

Reuters

18 de março de 2011 | 12h24

Momumento representava o Conselho de Cooperação do Golfo. Foto: Hamad I Mohammed/Reuters

   

 

MANAMA - O Bahrein derrubou nesta sexta-feira, 18, a estátua no centro da Praça da Pérola, ponto central e símbolo dos protestos pró-democracia na pequena ilha do Golfo Pérsico.

 

Veja também:

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

mais imagens Galeria de fotos: Veja imagens dos protestos na região

 

Tratores e escavadores abriram caminho pelas seis bases do monumento durante quatro horas, até a estátua colapsar em um monte de concreto e barras de aço. Caminhões estavam estacionados ao lado para a retirada de entulhos.

 

A estátua de concreto com seis bases que seguravam uma pérola foi erguida no começo dos anos 1980 para marcar a reunião que formou o Conselho de Cooperação do Golfo.

 

Cada uma das seis bases representa um dos membros do conselho, que inclui o próprio Bahrein, o Kuwait, os Emirados Árabes Unidos, a Arábia Saudita, Qatar e Omã. A pérola representa a herança comum dos países do Golfo, cujas economias eram baseadas na pesca de pérolas antes da descoberta do petróleo.

 

Os manifestantes, a maioria xiitas, tomaram a praça, próxima ao distrito financeiro de Manama, e montaram um acampamento onde comida era distribuída gratuitamente e protestos e discursos políticos eram realizados.

 

As forças de segurança do Bahrein repreenderam os manifestantes que estavam acampados na Praça da Pérola na última quarta-feira, retirando os oposicionistas. Mais tarde, tropas militares fecharam a área, que está sob um toque de recolher.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.