Bahrein diz que espera dialogar com oposição em junho

O enviado especial da monarquia do Bahrein aos Emirados Árabes Unidos, Abdulaziz bin Mubarak Al Khalifa, disse que o governo de seu país pretende estabelecer diálogo com a oposição em junho, quando as leis do estado de emergência forem suspensas.

AE, Agência Estado

14 de maio de 2011 | 19h48

Abdulaziz bin Mubarak Al Khalifa é integrante da família do rei Hamad bin Isa Al Khalifa, que inclui também o primeiro-ministro Khalifah bin Salman Al Khalifa e controla o Bahrein há 230 anos. Em março e em abril, com apoio de tropas da vizinha Arábia Saudita, o Exército do país reprimiu com violência uma onda de manifestações de protesto por reformas democráticas.

Diferentemente da família real e da elite econômica do Bahrein, que pertencem à vertente sunita do Islã, a maioria da população é xiita. Várias mesquitas xiitas foram demolidas pelas tropas do governo nos últimos dois meses, em retaliação pelos protestos.

Segundo o Tehran Times, do Irã, centenas de manifestantes saíram às ruas das cidades de Awamiyah e Qatif, na Província do Leste da Arábia Saudita, neste sábado, para manifestar sua solidariedade aos ativistas pró-democracia do Bahrein e para exigir a saída das tropas sauditas daquele país.

Os protestos na Arábia Saudita aconteceram depois de o governo do Bahrein anunciar que as tropas sauditas permanecerão no país mesmo depois da suspensão das leis do estado de emergência. Segundo o Tehran Times, os manifestantes também exigem que o governo saudita liberte presos políticos e conceda liberdade de expressão. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
BahreinprotestosOriente Médio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.