Ban chega à Síria e quer criação de tribunal para o Líbano

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, chegou nesta terça-feira, 24, a Damasco em uma visita relâmpago na qual tentará fazer com que a Síria utilize sua influência sobre o Líbano para a criação de um tribunal especial internacional para este país.Ban, que passará sete horas na capital do país, chegou do Catar e na viagem teve a oportunidade de se reunir com o ministro de Relações Exteriores sírio, Walid al-Moallem, a bordo do avião levava os dois do pequeno emirado árabe à Síria, informaram fontes diplomáticas.Espera-se que o sul-coreano busque a cooperação da Síria para a criação de um tribunal que julgue o assassinato do ex-primeiro-ministro libanês Rafik Hariri, assim como de outros líderes que se posicionaram contra a Síria, em fevereiro de 2005.Ban avisou mais de uma vez que espera um maior envolvimento da Síria nas resoluções do Conselho de Segurança para desarmar o grupo xiita Hezbollah, para suavizar a crise nuclear com o Irã e para aliviar a deteriorada relação do grupo Hamas com Israel.No mês passado, o secretário-geral da ONU alertou no Líbano que o contrabando de armas procedentes da Síria poderia ameaçar o frágil cessar-fogo desse país com o vizinho Israel.Os grupos anti-sírios no Líbano acusam Damasco de estar por trás do atentado que custou a vida de Hariri e de outras 22 pessoas e de utilizar seus aliados libaneses para evitar a criação do tribunal, algo que o regime de Bashar al-Assad nega, embora já tenha dito que não permitirá que sírios compareçam ao tribunal.A ONU advertiu que o organismo ainda não está pronto para impor a criação do tribunal e que prefere que as facções rivais libanesas se ponham de acordo sobre o assunto e acabem com uma crise que já leva meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.