Ban diz que relatório deve confirmar o uso de armas químicas na Síria

Secretário-geral da ONU deve receber o documento sobre ataque em Ghouta neste fim de semana

O Estado de S. Paulo,

13 de setembro de 2013 | 14h49

NAÇÕES UNIDAS - Um relatório de especialistas em armas químicas da Organização das Nações Unidas (ONU) deve confirmar que gás venenoso foi usado no ataque de 21 de agosto em Ghouta, subúrbio de Damasco, que matou mais de 1.400 pessoas, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, nesta sexta-feira, 13. O Departamento de Estado dos EUA afirma que o documento mostrará o uso do armamento proibido.

"Acredito que o relatório será um relato esmagador, de que as armas químicas foram usadas, embora eu não possa dizer isso publicamente antes de receber o relatório", disse Ban em reunião na ONU. Ele se referia ao relatório de uma equipe de especialistas da ONU, liderada pelo sueco Ake Sellstrom.

Ban não comentou se o uso de armas químicas partiu das forças de Assad, mas ressaltou que o presidente sírio, Bashar Assad, "cometeu vários crimes contra a humanidade."

Sellstrom, afirmou hoje à Associated Press que sua equipe já concluiu o relatório, que deve ser entregue ao secretário-geral no fim de semana. Em conversa por telefone, Sellstrom disse não saber com exatidão quando o relatório será divulgado ao público, já que a decisão cabe a Ban, e se recusou a falar sobre as conclusões dos inspetores.

Os inspetores liderados por Sellstrom foram incumbidos de determinar se agentes químicos foram usados no ataque em Ghouta, sem necessariamente apontar um responsável pelo massacre./ REUTERS e AP

Mais conteúdo sobre:
Síriaarmas químicasONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.