Ban Ki-moon chega à China em zona devastada por terremoto

O secretário-geral da ONU chega após visita a Mianmar, onde a passagem do "Nargis" deixou quase 78 mil mortos

EFE

24 de maio de 2008 | 01h44

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, chegou neste sábado a Chengdu, capital da província sudoeste chinesa de Sichuan, devastada pelo terremoto de 12 de maio que até o momento matou mais de 55 mil pessoas. Ban visitará a área devastada para expressar sua preocupação com os desabrigados no terremoto de 8 graus de magnitude na escala aberta de Richter, o mais destrutivo na China desde 1976, com mais de 24 mil pessoas ainda desaparecidas e cerca de 300 mil feridos, informa a agência oficial de notícias "Xinhua". O secretário-geral da ONU chega à China após uma visita a Mianmar (antiga Birmânia), onde a passagem do tufão "Nargis" deixou quase 78 mil mortos, e outras 56 mil pessoas seguem desaparecidas. Ao contrário do que ocorreu em Mianmar, onde o regime militar se fechou ao exterior e pôs em risco a vida de seus cidadãos, a China manteve uma transparência incomum sobre o terremoto. Dentro desta política de abertura e proximidade ao povo, o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, visitou o epicentro do terremoto pela segunda vez desde a catástrofe. As autoridades locais pedem a doação de barracas para abrigar as milhões de pessoas que perderam tudo no terremoto. Mais de cinco milhões de pessoas perderam suas casas em Sichuan, e as autoridades locais tentam com urgência fornecer a elas um teto provisório antes do início da temporada de chuvas. Milhares de trabalhadores cavam canais para drenar a água que se acumula e que ameaça inundar povoados inteiros na província de Sichuan, situada aos pés dos montes Himalaia.

Tudo o que sabemos sobre:
Terremoto, China, Ban Ki-moon

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.