Ban Ki-moon chega a Mianmar para tentar ajuda internacional

O secretário-geral da ONU quer convencer a Junta Militar que governa o país a aceitar mais ajuda humanitária

EFE

22 de maio de 2008 | 00h33

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, chegou nesta quarta-feira a Mianmar (antiga Birmânia) para tentar convencer a Junta Militar que governa o país a aceitar mais ajuda humanitária para as cerca de 2,5 milhões de vítimas do tufão "Nargis". Ban, que antes de partir para Yangun disse que o país asiático se encontra em um "momento crítico", deve visitar algumas das áreas devastadas pelo ciclone, e se reunir com o chefe da Junta Militar, o general Than Shwe em sua fortaleza de Napydaw, nova capital do país. O Governo birmanês, que sempre suspeitou das intenções das Nações Unidas e das maiores potências ocidentais, rejeitou a ajuda em massa oferecida pela comunidade internacional para os sobreviventes, que enfrentam a falta de alimentos e de água, e estão ameaçados por epidemias. Segundo a ONU, a assistência chegou a apenas 25% dos desabrigados pela tragédia, que ocorreu em uma região de difícil acesso. O ciclone "Nargis", que atravessou o sul de Mianmar entre 2 e 3 de maio, deixou até o momento 77.738 mortos e 55.917 desaparecidos.

Tudo o que sabemos sobre:
Mianmar, Ban Ki-moon

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.