Ban Ki-moon diz que Síria deve provar que quer a paz

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, disse que é "é responsabilidade da Síria" manter a promessa do governo e manter o cessar-fogo.

AE, Agência Estado

12 de abril de 2012 | 12h37

Ban disse que "até o momento, a situação parece mais calma" na Síria, mas o cessar-fogo desta quinta-feira é "muito frágil" e pode ser interrompido a qualquer momento. Segundo ele, um único tiro pode colocar tudo a perder.

O secretário-geral disse aos jornalistas em Genebra que "o mundo está observando, mas com olhares céticos, já que muitas promessas anteriores feitas pelo governo da Síria não foram mantidas".

Ele declarou que o governo deve lembrar que suas "palavras serão comparadas com seus atos". O cessar-fogo, intermediado pela ONU teve início nesta quinta-feira. Aparentemente, o regime do presidente Bashar Assad interrompeu os amplos ataques à oposição. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaviolênciaONUBan Ki-moon

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.