Ban Ki-moon é contra envio de armas para rebeldes sírios

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, se opõe à decisão dos Estados Unidos de enviar armas para os rebeldes sírios e disse que não pode haver certezas sobre o uso de armas químicas na Síria sem uma investigação em solo.

Agência Estado

14 de junho de 2013 | 15h37

Ban reiterou nesta sexta-feira que não há solução militar para os mais de dois anos de conflito e, portanto, aumentar o fluxo de armas para qualquer um dos lados "não é útil".

Os Estados Unidos anunciaram na quinta-feira que decidiram enviar ajuda letal para os rebeldes, após afirmar que obtiveram provas conclusivas de que o regime do presidente Bashar Assad usou armas químicas contra forças opositoras.

Ban disse aos repórteres que "a validade de qualquer informação sobre o suposto uso de armas químicas não pode ser garantido sem provas convincentes da cadeia de custódia". A Síria não permite a entrada de inspetores da ONU no país. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ONUSíriaBanEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.