Ban Ki-moon: é privilégio indicação para 2º mandato

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, afirmou na tarde de hoje considerar um "grande privilégio" a sua indicação hoje por unanimidade pelo Conselho de Segurança a um segundo mandato à frente da entidade. Na próxima semana, a Assembleia Geral da ONU decidirá sobre a permanência de Ban Ki-Moon no cargo por mais cinco anos.

EDUARDO RODRIGUES, Agência Estado

17 de junho de 2011 | 16h25

"É um privilégio imenso para mim e uma honra. Tenho andando próximo de todos os membros dos Estados, sempre em busca de paz, estabilidade, e defesa dos direitos humanos", afirmou o secretário-geral. "Estou muito motivado para continuar", acrescentou.

Ban Ki-Moon disse que irá apresentar suas principais propostas para um segundo mandato na próxima Assembleia Geral, mas adiantou que entre as suas prioridades estará a busca pelo desenvolvimento sustentável, como forma de combater a mudança climática.

Além disso, o secretário-geral destacou as negociações pela redução dos arsenais nucleares e a busca de suporte financeiro para uma estratégia mundial pelos direitos das crianças. "Também é importante termos mais capacidade de levar assistência humanitária para as pessoas que necessitam", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
Ban Ki-MoonONUmandato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.