Ban Ki-moon pede ações de líderes interinos da Tunísia

Chefe da ONU quer que violência seja coibida sem que liberdade de expressão seja afetada

Associated Press

17 de janeiro de 2011 | 13h37

ABU DABI - O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, pediu nesta segunda-feira, 17, aos líderes interinos da Tunísia que tomem todas as medidas necessárias para coibir a violência ao mesmo tempo em que não prejudiquem as liberdades da população.

 

Veja também:

blog A expansão da democracia no mundo árabe

 

Ban disse a repórteres em Abu Dabi, nos Emirados Árabes, que ele está "extremamente preocupado" com o nível da violência no país do norte da África desde que o presidente Zine El Abidine Ben Ali anunciou sua renúncia após revoltas populares.

 

Ban ainda pediu que a comunidade internacional ajude a Tunísia. "Peço à comunidade internacional que apoie os esforços pela restauração da paz e da democracia no país. Os eventos na Tunísia mostram que é preciso atender às necessidades econômicas e sociais da população", disse.

 

O líder da ONU se dirigiu diretamente às autoridades tunisinas que deem garantias de que a liberdade de expressão não será afetada e pediu que líderes políticos que "assegurem o retorno da lei".

 

A Tunísia enfrenta uma grave crise política desde que Ben Ali fugiu do país depois que protestos da população tomaram as ruas da capital Túnis. Desde então os manifestantes, que iniciaram as marchas para protestar contra a corrupção do governo e depois passaram a agir pedindo a abertura política, têm enfrentado as forças de segurança nas ruas da capital.

Tudo o que sabemos sobre:
TunísiaÁfricaBen AliONUBan Ki-moon

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.