Ban Ki-moon quer mensagem firme do CS contra Coréia do Norte

O recém eleito secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o ministro de Exteriores sul-coreano, Ban Ki-moon, expressou nesta sexta-feira seu desejo de que o Conselho de Segurança (CS) da ONU envie uma mensagem "firme" e "unificada" à Coréia do Norte em resposta ao teste nuclear realizado na última segunda-feira.Em seu primeiro comparecimento perante a imprensa, após ser nomeado pelos 192 países da Assembléia Geral, Ban Ki-moon disse que seu país mostrou uma firme oposição ao primeiro experimento nuclear efetuado por Pyongyang. "Esperemos que acabem as diferenças entre os membros do Conselho para que emitam uma mensagem firme e unificada", afirmou ele. Os membros do CS discutem atualmente um projeto de resolução, apresentado pelos Estados Unidos, para sancionar a Coréia do Norte por seu teste nuclear.A votação, prevista para as 9h45 (10h45 em Brasília) de sábado, foi adiada até as 12 horas (13 horas em Brasília), o que aponta para a existência de diferenças entre os lados.A China mantinha ainda certas reservas sobre as provisões do documento, especialmente as relacionadas com a interceptação e inspeção de cargas que saem e entram no país por via terrestre, marítima e aérea.Outras sanções estipuladas pelo projeto de resolução fazem referência à proibição aos países de fornecer direta ou indiretamente material armamentista e nuclear, assim como a imposição de um embargo comercial aos artigos de luxo.Também é pedido aos Estados-membros que bloqueiem os ativos e recursos econômicos destinados a financiar os programas nucleares.O Governo da Coréia do Norte advertiu que se o Conselho de Segurança da ONU impuser sanções duras contra seu país, a medida será considerada uma "declaração de guerra".Pyongyang abandonou em novembro do ano passado as conversas de seis lados - com Coréia do Sul, EUA, Rússia, Japão e China - que tentavam persuadir o regime comunista a abandonar seu programa nuclear.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.