Ban Ki-moon quer reforço de 3,5 mil homens no Haiti

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, pediu ao Conselho de Segurança da entidade nesta segunda-feira para aumentar o número de homens da missão no Haiti enviando mais 3.500 soldados e policiais para o país caribenho. O Brasil lidera a Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah). Quarenta e seis funcionários da ONU tiveram suas mortes confirmadas no Haiti e mais de 500 estão desaparecidos, informou Martin Nesirky, porta-voz da entidade. "O número total de integrantes da ONU mortos é de 46", disse ele aos jornalistas, acrescentando que "mais de 500 estão desaparecidos ou dos quais não se tem notícias".

PRISCILA ARONE, Agencia Estado

18 de janeiro de 2010 | 15h21

Nesta segunda-feira, o Chile informou que vai enviar um grupo ao Haiti para procurar a mulher de um de seus generais, comandante das forças de paz da ONU no país. O Chile também planeja enviar outro avião com ajuda humanitária e unidades policiais especiais para ajudar nas operações de segurança em Porto Príncipe, disseram funcionários do governo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HaititerremotoajudaONUBan Ki-moon

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.