Ban pede a Olmert que dê espaço a novo governo palestino

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-mon, pediu nesta segunda-feira, 26, a Israel que dê espaço ao novo governo de união nacional na Autoridade Nacional Palestina (ANP).Ban afirmou em entrevista coletiva conjunta com o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, em Jerusalém, que o novo governo palestino deve cumprir os princípios do Quarteto de Madri (reconhecer Israel, respeitar os acordos assinados e renunciar à violência) e acrescentou que "deverá ser julgado também por suas obras", mas, sobretudo, é preciso dar a ele "um espaço político".Olmert não respondeu imediatamente Ban, mas em uma resposta a uma pergunta posterior ressaltou com veemência que o novo Gabinete nãocumpre as condições para ser aceito, porque "não reconhece a realidade de Israel e está inspirado no terrorista Khaled Meshaal", o líder do Hamas no exílio.Durante a entrevista coletiva realizada após a reunião na residência de Olmert, os dois ressaltaram o bom ambiente do encontro.No entanto, Ban fez várias advertências ao primeiro-ministro israelense e reiterou que os palestinos devem cumprir as exigências do Quarteto, mas Israel também tem suas obrigações."O novo governo palestino deve ser julgado por suas ações, comosão agir para que suspendam os disparos de foguetes contra território israelense e libertar o soldado Gilad Shalit, refém em Gaza, mas também é crucial" que Israel atue no tema dos assentamentos e dos postos de controle e retome as transferências aos palestinos das taxas que arrecada em seu nome, disse Ban.Os dois políticos falaram também da próxima cúpula da Liga Árabe na Arábia Saudita. Olmert declarou que confia em que a presença de Ban ali contribuirá para reforçar a posição dos moderados.O secretário-geral da ONU insistiu nos esforços que a comunidade internacional realiza e pediu a Olmert que "exerça também liderança".Olmert não quis comentar informações sobre uma iniciativa especial americana para relançar o processo de paz, dizendo que há muitas propostas atualmente sobre a mesa.Quanto a um hipotético convite para que participe de uma reunião do Quarteto, à qual poderiam ser convidados países árabes, respondeu, com um sorriso: "Se o Quarteto me convidar analisarei o convite de forma muito positiva".Olmert assegurou que continuará mantendo contatos com o presidente palestino, Mahmoud Abbas, apesar do boicote de Israel ao governo de união nacional liderado por Ismail Haniyeh, do movimento islâmico Hamas."Quero lembrar a vocês que há contatos constantes entre o presidente palestino e eu, e continuarão no futuro, sem interrupção", assegurou.Na reunião, Ban e Olmert falaram sobre os esforços para libertar o soldado Gilad Shalit, refém em Gaza desde 25 de junho de 2006, e dois que estão seqüestrados no Líbano.O primeiro-ministro israelense agradeceu a Ban o empenho da ONU para libertar os soldados e afirmou que, "nos últimos anos, a atitude da ONU (em relação a Israel) mudou" e ele está contente por isso.Além disso, Olmert parabenizou a ONU pela resolução 1747 sobre aimposição de sanções ao Irã. "Acho que os esforços conjuntos da comunidade internacional e a pressão econômica podem frear o programa nuclear iraniano", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.