Ban promete mobilização da ONU contra crise alimentar global

A ONU começou a mobilizar seusrecursos para combater a atual crise alimentar global e planejapropor soluções de longo prazo contra suas causas, disse nasegunda-feira o secretário-geral Ban Ki-Moon. "Deixem-me simplesmente enfatizar a gravidade da emergênciae a necessidade de uma reação urgente", disse Ban a jornalistasapós voltar de uma viagem à África e à Europa, onde os preçosdos alimentos foram o principal item na pauta de seus encontroscom autoridades. "A primeira coisa que farei, de volta aqui a Nova York,será colocar a nossa força-tarefa contra a crise globalalimentar a toda velocidade", disse Ban, acrescentando que talforça-tarefa realizará sua primeira reunião na segunda-feiraque vem. Esse grupo, segundo o sul-coreano, vai estudar as causassubjacentes da crise e propor soluções de longo prazo para umacúpula alimentar prevista para junho em Roma, para a qual eleespera que os líderes mundiais levem "novas idéias". Ban encarregou o seu subsecretário para AssuntosHumanitários, John Holmes, de coordenar os esforços da ONU. Seuadjunto nessa tarefa será David Nabarro, que era responsávelpelo combate à gripe aviária. O Banco Asiático de Desenvolvimento disse na sexta-feiraque mais de 1 bilhão de pessoas naquele continente podemmergulhar na miséria caso não recebam ajuda extra para arcarcom o aumento no custo de vida. Vários países do mundo vêm tendo distúrbios devido ao preçodos alimentos. "Se não for tratada adequadamente, esta crise pode sedesdobrar em múltiplas crises afetando o comércio, odesenvolvimento e mesmo a segurança sociopolítica do mundo. Asubsistência de centenas de milhões de pessoas está ameaçada",disse Ban. Ele defendeu que os países busquem não só soluções de longoprazo, mas também para questões como práticas comerciais queinflacionam artificialmente os preços. Seria importante, segundo ele, "estimular o desenvolvimentoagrícola, particularmente na África e em outras regiões maisafetadas". "Pedi aos líderes que não tomem medidas quedistorçam o comércio e elevem os preços", acrescentou. Ban defendeu ainda medidas que facilitem o acesso depequenos produtores rurais a sementes, fertilizantes e outrosinsumos. "Esta crise não começou do nada. Cresceu de mais deuma década de negligência e de políticas ineficazes dedesenvolvimento. Precisamos recomeçar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.