Ban ressalta dignidade de Suu Kyi e pede libertação presos políticos

Secretário Geral da ONU expressou em comunicado sua admiração pela vencedora do Nobel

Efe

13 de novembro de 2010 | 15h25

NAÇÕES UNIDAS - O secretário-geral da ONU, Ban Ki Moon, comemorou neste sábado, 13, a libertação da líder da oposição birmanesa, Aung San Suu Kyi, de quem ressaltou a coragem e dignidade, e fez um apelo para que Mianmar liberte todos os presos políticos.

 

Veja também:

Obama diz que Suu Kyi é uma inspiração para quem luta pelos direitos humanos

 

Em um comunicado à imprensa lido por seu porta-voz, Martin Nesirky, Ban expressou "sua profunda admiração" e desejou "o melhor" a Suu Kyi após a aguardada libertação.

 

A vencedora do prêmio Nobel da Paz de 1991 foi libertada neste sábado pela Junta Militar birmanesa após ter cumprido uma pena de 18 meses de prisão domiciliar imposta em 2009 para garantir que não pudesse participar das eleições parlamentares de domingo passado.

 

"Sua dignidade e coragem frente à injustiça inspiraram muitas pessoas no mundo todo, incluindo o secretário-geral (da ONU), que há muito tempo pediu sua liberdade", disse Nesirky.

 

No entanto, Ban assinalou através de seu porta-voz que, após "a boa notícia de sua libertação, é profundamente lamentável que Suu Kyi tenha sido excluída de participar das recentes eleições".

 

"O secretário-geral espera que não sejam impostas mais restrições e pede às autoridades de Mianmar que tomem medidas para libertar todos os demais presos políticos", acrescentou o porta-voz.

 

Ban também ressaltou que "democracia e conciliação nacional requerem que todos os birmaneses sejam livres para participar da vida política de seu país".

 

Após ganhar a liberdade, Aung San Suu Kyi pediu unidade a seus partidários. Em Mianmar ainda há mais de 2 mil presos políticos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.