Banco Asiático prevê crescimento de 9,6% para a China em 2010

Banco Asiático prevê crescimento de 9,6% para a China em 2010

Apesar do prognóstico, o banco crê que a China pode se prejudicar a médio e longo prazo

PEQUIM

13 de abril de 2010 | 04h11

A economia da China vai subir 9,6% em 2010 e 9,1% em 2011, segundo previsões do Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD). A estimativa do banco, apresentada em entrevista coletiva que teve como foco as previsões para a Ásia em 2010, mostrou postura mais otimista que a do governo chinês, que previu 8% de aumento.

 

O BAD acredita que a China enfrenta uma fragilidade da demanda externa, uma política monetária excessivamente flexível que poderia aumentar o risco de reaquecimentos e advertiu: se o país não mudar sua postura econômica, pode se prejudicar a médio e longo prazo.

 

O organismo então recomendou que o gigante asiático desenvolva mais o setor de serviços, aumente a mobilidade dos trabalhadores com uma grande reforma do "Hukou" (permissão de mudança do campo para a cidade e vice-versa), liberalize o setor financeiro e permita oscilação do iuane frente ao dólar.

 

O banco apresentou também dados sobre outros países e sobre o geral do continente. A expectativa é de crescimento do PIB da Ásia é de 7,5% para 2010 e 7,3% em 2011.

 

Para a inflação, perspectiva de manutenção em 4%. A região que mais vai crescer, de acordo com o BAD, será o leste do continente, com 8,3%. Hong Kong, Mongólia e Taiwan, as três economias da zona que tiveram crescimento negativo em 2009, apresentarão crescimento positivo.

 

A Coreia do Sul crescerá 5,2%, o sudeste asiático 5,1% (após 1,2% em 2009), enquanto Brunei, Camboja, Malásia, Cingapura e Tailândia obterão números positivos após as negativas do ano passado.

 

O Sul da Ásia crescerá 8,2%, estimulado sobretudo pela Índia. O único país que terá crescimento negativo são as Ilhas Fiji que reduzirá seu PIB em 0,5%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.