Bancos começam a fazer pagamentos a funcionários palestinos

O Banco Palestina começou a tornar efetivos os pagamentos de um mês a funcionários, prisioneiros e parentes de palestinos mortos em ações contra Israel, anunciou neste domingo o primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Ismail Haniye.O chefe do Governo e líder do movimento islâmico Hamas afirmou, durante uma reunião de seu Gabinete em Gaza, que na segunda-feira os funcionários palestinos com salários inferiores a US$ 350 poderiam receber o pagamento de um mês em diferentes bancos divididos por Cisjordânia e Gaza.No entanto, testemunhas em Gaza informaram que nesta mesma tarde parentes de prisioneiros e mortos em ações contra Israel, assim como funcionários públicos de baixos salários, já estão recebendo os salários correspondentes a um mês.O Banco Palestina, cuja principal sede fica na Cidade de Gaza, anunciou que já tinha distribuído o dinheiro para suas filiais nos territórios palestinos para que os funcionários pudessem efetivar o recebimento.A medida afetará cerca de 40 mil funcionários públicos que, assim como os outros 160 mil funcionários palestinos, não receberam nosúltimos três meses devido ao boicote político e econômicointernacional ao Governo do Hamas.Haniye disse que os outros funcionários que ganhavam salários superiores aos US$ 350 poderão receber, pelos bancos palestinos, empréstimos livres de tarifas e juros.O premier também explicou que, quando o Governo palestino tiver mais orçamento, começará a pagar os outros funcionários, embora não tenha especificado quando isso acontecerá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.