Bancos da Venezuela iniciam paralisação de dois dias

Os bancos venezuelanos estarão fechados por dois dias, a partir de hoje, como forma de apoiar a greve geral no país, que já dura seis semanas. Os manifestantes protestam contra o presidente da Venezuela, Hugo Chávez. A paralisação foi convocada pela associação de bancários do país. "Nós estamos mandando uma mensagem ao governo, já que ele parece não ver ou compreeender que há alguma coisa acontecendo neste país", afirmou o presidente da Fetrabanca.Ele informou que os bancários irão prestar apenas serviços essenciais durante estes dois dias, tais como pagamentos de serviços emergenciais médicos. Os caixas eletrônicos também estão desativados. Os bancos privados, que Chávez pretendia nacionalizar, estavam funcionando por apenas três horas por dia desde 9 de dezembro. O anúncio da greve bancária de dois dias levou o bolívar venezuelano a atingir recorde de baixa em relação ao dólar ontem. BC suspende leilões de dólarO Banco Central da Venezuela suspendeu os leilões de dólar nesta quinta-feira, após o bolívar ter despencado ontem 13,5% ao longo do dia, antes de se fortalecer e fechar a 1.508,75 por dólar, em mínima histórica, com queda de 5,6%. A instituição não fechou totalmente as operações de sua mesa de câmbio, embora a maioria dos bancos do país estivessem praticamente parados por dois dias, em razão da adesão à greve nacional de 39 dias para pressionar pela renúncia do presidente Hugo Chávez. A instituição não decidiu ainda se fará leilões de dólar amanhã. O BC venezuelano tem leiloado cerca de US$ 45 milhões por dia desde terça-feira, ampliando o montante em relação aos usuais US$ 30 milhões. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.