Bancos japoneses terão 5 anos para limpar créditos duvidosos

O governo japonês quer que os bancos limpem os créditos duvidosos de suas carteiras nos próximos cinco anos, informou o jornal Yomiuri. O prazo de cinco anos para cancelar os créditos duvidosos será incluído no plano econômico de emergência que será divulgado na quarta-feira pelo governo de coalizão do Japão. Os bancos japoneses lutam contra o pesado fardo de créditos que se tornaram duvidosos depois do colapso dos preços das ações e dos imóveis no início dos anos 90. Analistas dizem que a fraca economia do país não vai recuperar-se até que os bancos limpem esses créditos. Nos últimos dias, o governo japonês vem sendo pressionado pelos investidores globais para resolver o problema. Para estabilizar o setor bancário, o governo japonês também está considerando colocar limites no volume de ações que os bancos podem possuir, informaram o Yomiuri e outros jornais japoneses. No Japão, é costume bancos terem ações de seus clientes corporativos e vice-versa como prova de sua relação comercial. Contudo, grandes carteiras tornaram-se um problema para os bancos por causa da recente queda acentuada das ações - o índice Nikkei 225 está no nível mais baixo em 15 anos. As autoridades monetárias estão discutindo também a formação de um fundo para comprar as ações que os bancos querem vender e não conseguem. O dinheiro público será usado para cobrir as eventuais perdas, caso o fundo não consiga vender as ações mais tarde com lucro, informou o jornal Asahi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.