Bangcoc vive dia de calma após golpe militar

Apesar da presença de carros de combate esoldados em pontos estratégicos, as ruas de Bangcoc, capital da Tailândia, amanheceram tranqüilas. Depois do golpe de Estado da noite de terça-feira contra o governo eleito do primeiro-ministro, Thaksin Shinawatra, os líderes militares golpistas declararam feriado nesta quarta-feira. A maioria dos trabalhadores dos escritórios de grandes e médias empresas, bancos e da administração ficou em casa, acompanhando pelatelevisão e pelo rádio a evolução dos acontecimentos. "Fico em casa. Hoje não parece um bom dia para fazer compras", disse Ni, de 27 anos, contador de uma companhia multinacional, que na noite passada avisou a todos os funcionários que os escritóriosficariam fechados. Shinawatra, ex-oficial da polícia, multimilionário e líder do partido nacionalista Thai Rak Thai ("Tailandeses Amam a Tailândia"), não é visto com bons olhos pela maioria da crescente classe média de Bangcoc. Ele é considerado autoritário e pouco aberto a outras opiniões. Após uma longa interrupção da programação habitual, os cinco canais estatais de televisão, agora sob o controle das Forças Armadas, retomaram suas transmissões com filmes e breves noticiáriossobre a situação. No aeroporto internacional de Bangcoc, a situação é normal e nenhum vôo foi cancelado, segundo fontes oficiais. A maior atividade foi registrada nas principais avenidas da cidade, Silom e Sukhumvit, onde alguns turistas foram surpreendidos pelo fechamento de lojas e restaurantes. "Soubemos do golpe de Estado esta manhã, mas no hotel nos disseram que não era perigoso sair", comentou Willian Ashley, um turista australiano que foi à Tailândia com sua mulher e doisfilhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.