Bangladesh bloqueia Facebook por página sobre Maomé

O governo de Bangladesh bloqueou o acesso ao Facebook por conta de uma página que encorajava as pessoas a publicarem imagens do profeta islâmico Maomé. Depois do Paquistão, o país é a segunda nação sul-asiática a banir o popular site de relacionamentos por questões religiosas.

AE-AP, Agência Estado

30 Maio 2010 | 14h02

O diretor do órgão regulador de telecomunicações de Bangladesh, Zia Ahmed, afirmou neste domingo que o acesso ao site foi temporariamente bloqueado por publicar caricaturas que podem afetar o sentimento religioso das pessoas. Segundo ele, o governo pediu aos fornecedores locais de serviços de Internet que restrinjam o conteúdo. Ahmed acrescentou que o acesso será restaurado assim que o material ofensivo for removido.

Os muçulmanos consideram representações do profeta, mesmo as favoráveis, como desrespeito. Milhares de islâmicos protestaram em Daca na sexta-feira contra o que chamaram de "conteúdo ofensivo" do Facebook. A proibição decepcionou alguns usuários do site de relacionamentos, estimados pela Associação ISP de Bangladesh em quase 1 milhão, em um país com 150 milhões de pessoas. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Facebook redes sociais Islã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.