Stephen Crowley/NYT
Stephen Crowley/NYT

Barack Obama recebe François Hollande em Washington

Na agenda dos presidentes americano e francês estão o programa nuclear do Irã, a guerra civil na Síria e a cooperação econômica entre os dois países

O Estado de S. Paulo,

10 de fevereiro de 2014 | 21h43

CHARLOTTESVILLE, EUA - O presidente francês, François Hollande, iniciou na segunda-feira, 10, uma visita aos Estados Unidos, em um esforço para estreitar laços após as denúncias de espionagem de Washington contra Paris. Na agenda, estão os desafios internacionais sobre Irã, Síria e África, além da cooperação econômica entre os países.

Trata-se da primeira visita de Estado de um líder francês aos EUA em 18 anos e a primeira oferecida no segundo mandato do presidente Barack Obama. A honraria estava reservada à presidente Dilma Rousseff em outubro passado, mas as mesmas denúncias de espionagem afetaram o Brasil e levaram a líder a desmarcar o compromisso.

Os presidentes iniciaram a agenda com uma ida a Monticello, casa do terceiro presidente americano, Thomas Jefferson, em Charlottesville, na Virgínia, a 120 km de Washington. Os dois viajaram juntos em uma versão menor do Air Force One e conversaram informalmente durante o trajeto.

Obama receberá Hollande na terça-feira, 11, no Salão Oval e, em seguida, eles concederão uma entrevista coletiva. À noite, o presidente e a primeira-dama, Michelle Obama, oferecerão um jantar de gala na Casa Branca.

Fontes de governo americano adiantaram que os dois repassarão a "posição comum" que sustentam dentro do grupo P5+1 (cinco potências do Conselho de Segurança - EUA, China, Rússia, Grã-Bretanha e França - mais a Alemanha) sobre as negociações de um acordo definitivo com o Irã acerca de seu programa nuclear. As conversações serão retomadas em uma semana, em Viena.

A espionagem não deverá entrar em pauta. As revelações feitas pelo ex-colaborador da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) Edward Snowden, ano passado, mostraram que a França, ao lado de Alemanha e Brasil, foi um dos principais alvos da espionagem americana.

Assim como quando Nicolas Sarkozy fez uma visita com menos pompa a George W. Bush, em 2007, logo depois de se separar de Cécile, Hollande viaja sozinho. Ele se separou recentemente de sua companheira, a jornalista Valerie Trierweiler, que era considerada a primeira-dama da França. O término da relação foi anunciado depois que a imprensa afirmou que o presidente tem um caso com a atriz francesa Julie Gayet.

Parceria. Em um artigo conjunto publicano nos jornais Le Monde e Washington Post, os dois lembraram que seus países estiveram em posições diferentes no passado, mas hoje mantêm estreita aliança. "Enraizada em uma amizade que remonta há mais de dois séculos, nossa profunda parceria oferece um modelo internacional de cooperação", escreveram. / REUTERS, EFE e AFP

Tudo o que sabemos sobre:
EUAFrançaObamaHollande

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.