Barcelona proibirá véu e burca em prédios municipais

O prefeito de Barcelona, Jordi Hereu, declarou hoje que vai proibir o uso de véus islâmicos que cobrem o rosto em prédios municipais. A medida já foi tomada em outras cidades da Espanha e toda a Europa estuda medidas semelhantes.

AE-AP, Agência Estado

14 de junho de 2010 | 19h12

Hereu insistiu que a medida não é especificamente antirreligiosa, dizendo que seu alvo são as vestimentas que não permitem a identificação das pessoas, o que inclui capacetes de motociclistas e máscaras de esqui. "Você não pode entrar num escritório municipal e não ser identificado", disse ele. "De forma alguma o alvo é a fé religiosa." A proibição também inclui escolas infantis públicas, escolas de música, escritórios de serviços sociais e mercados públicos.

Autoridades em vários países europeus têm debatido a regulação para o uso das burcas, que cobrem todo o corpo, e do véu que esconde o rosto. A Câmara Baixa da Bélgica aprovou a proibição do véu que cobre o rosto, embora ela precise ser ratificada pela Câmara Alta. A França iniciou a discussão de uma lei parecida.

A Holanda debateu a proibição do uso de burcas quatro anos atrás e pode decretar seu uso ilegal, já que é considerado degradante para as mulheres. Até mesmo o Reino Unido, que abriga milhares de imigrantes de suas ex-colônias, está questionando suas fortes tradições multiculturais.

Tudo o que sabemos sobre:
Barcelonavéuislãproibição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.