EFE/Alejandro García
EFE/Alejandro García

Barcelona: multidão se junta a protestos em apoio a líderes catalães presos

Agitando bandeiras pró-indepedência da Catalunha e aos gritos de “liberdade”, “independência”, “liberdade aos presos políticos”, 350.000 pessoas se reuniram perto do Parlamento

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2019 | 16h43

Uma semana após os violentos confrontos em decorrência da condenação de líderes separatistas, milhares de catalães voltaram às ruas de Barcelona, neste sábado, 26. Agitando bandeiras pró-indepedência da Catalunha e aos gritos de “liberdade”, “independência”, “liberdade aos presos políticos”, 350.000 pessoas se reuniram perto do Parlamento da Catalunha, segundo a polícia local. Os protestos foram convocados pelas associações Assembleia Nacional da Catalunha e Omnium Cultural, que organizam regularmente manifestações em massa.

Neste domingo, marcha anti-independência pretende, por sua vez, "dizer 'basta' à violência e ao confronto buscado pelo governo separatista regional. "Esta é uma mensagem importante para a Catalunha, Espanha e o mundo, onde frequentemente confundimos separatismo e Catalunha, enquanto somos a maioria", disse à AFP o presidente da associação Sociedade Civil Catalã, Fernando Sánchez Costa.

Membros do governo socialista, incluindo o ministro das Relações Exteriores, o catalão Josep Borrell, que será chefe da diplomacia europeia, participarão da marcha. Também marcarão presença políticos da oposição de direita, que pedem ao governo medidas excepcionais contra a violência na Catalunha, antes das eleições legislativas de 10 de novembro.

As manifestações começaram após uma decisão da Suprema Corte da última segunda-feira, 14, que condenou nove líderes separatistas à prisão. Desde então, separatistas radicais entraram em choque com a polícia todas as noites em Barcelona e outras cidades catalãs após grandes protestos pacíficos. /COM INFORMAÇÕES DA AP E AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.