Barco com ativistas pode ser interceptado por Israel

O governo da Finlândia informou neste sábado que Israel avisou que vai adotar ações contra um barco carregando ativistas internacionais pró-Palestina que planeja furar um bloqueio naval imposto à Faixa de Gaza. "Israel disse que vai adotar ações para impedir o barco de atracar se ele tentar furar o bloqueio. Nós avisamos que se trata de um barco civil e pedimos que eles sejam prudentes em qualquer ação que forem tomar", afirmou o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores finlandês, Risto Piipponen.

AE, Agência Estado

13 de outubro de 2012 | 14h41

O barco sueco Estelle, com bandeira finlandesa, deixou Nápoles, na Itália, em sete de outubro, com 20 pessoas de oito países à bordo, carregando itens que incluem cimento, bolas de basquete, instrumentos musicais e equipamento de luz para teatro.

Israel impôs um bloqueio a Gaza após militantes islâmicos do Hamas tomarem o controle da região em 2007, das mãos do rival Fatah. Entretanto, após intensas pressões internacionais, Israel enfraqueceu o bloqueio em 2010, depois de um ataque naval ter matado nove turistas turcos a bordo de uma flotilha na fronteira de Gaza.

Embora muitos comerciantes possam entrar agora em Gaza através de uma passagem controlada por Israel, com algumas restrições, incluindo o limite de exportações, o bloqueio naval persiste. Palestinos e seus apoiadores consideram o bloqueio uma punição coletiva ilegal contra a população de Gaza.

Em setembro de 2011, um relatório divulgado pelas Nações Unidas expôs a legalidade do bloqueio naval, classificando a ação de "medida legítima de segurança", embora tenha criticado as restrições por terra. Outros especialistas nas Nações Unidas, em conjunto com a Cruz Vermelha, disseram que o bloqueio é ilegal.

Israel diz que o bloqueio é necessário para impedir o Hamas de obter armas. Os militantes em gaza introduzem armas na região por meio de canais que passam por baixo da fronteira com o Egito. Os militares israelenses não disseram se planejam interceptar o barco, apenas que vão "continuar a garantir que as restrições marítimas próximas à Faixa de Gaza, estabelecidas para evitar a transferência de armas, sejam mantidas."

No endereço do Estelle na internet, os ativistas a favor dos palestinos citaram que a imprensa israelense está informando que o Ministério de Relações Exteriores de Israel está em contato com os governos de vários países de passageiros à bordo do Estelle. "Isso mostra que não existe permissão para qualquer navio se aproximar de Gaza," informa o site do Estella. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.