Reuters
Reuters

Barco com imigrantes que seguiam para a Malásia afunda e deixa 14 mortos

Embarcação estava acima do peso recomendado e condições climáticas não ajudaram; 19 passageiros foram resgatados

O Estado de S. Paulo

03 Setembro 2015 | 10h45

KUALA LUMPUR - Um barco de madeira superlotado, supostamente com dezenas de imigrantes ilegais da Indonésia, afundou na costa da Malásia nesta quinta-feira, 3, deixando ao menos 14 mortos, sendo 13 mulheres, de acordo com autoridades marítimas.

O barco saiu de Sabak Bernam, no Estado de Selangor, na Malásia, e seguia para Sumatra, na Indonésia, quando o acidente aconteceu.

Muhammad Aliyas Hamdan, primeiro almirante da agência marítima da Malásia, disse que conversas iniciais com sobreviventes levam a acreditar que os passageiros eram indonésios.

"Se fossem imigrantes legais, não iriam sair (do país) desta maneira", disse Hamdan. Segundo ele, 19 passageiros foram resgatados por pescadores.

Com base na descrição do barco, a agência estimou que havia cerca de 70 pessoas a bordo, mas testemunhas afirmam que o número poderia chegar a 100.

Hamdan disse que a embarcação afundou em razão do excesso de peso e das condições climáticas ruins.

Outro oficial da agência marítima, Mohamad Hambali Yaakup, disse que o barco afundou em uma região não muito longe da costa, e várias embarcações e uma aeronave faziam buscas por mais sobreviventes.

Esse tipo de incidentes são comuns na Malásia, que conta com mais de 2 milhões de indonésios trabalhando ilegalmente. Eles atuam sem licenças em plantações e indústrias, e geralmente atravessam os países por meio do Estreito de Málaca em barcos mal equipados. /REUTERS e ASSOCIATED PRESS

Mais conteúdo sobre:
imigração crise Malásia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.