Barco holandês não vai mais realizar abortos

Problemas legais e logísticos forçaram o grupo holandês pelo direito de aborto a cancelar hoje os planos de dar a pílula do aborto RU-486 no barco que levaram até Dublin. "As complicações aconteceram no último momento e lamentamos profundamente por isso", disse Cathleen O´Neill, porta-voz do Mulheres Sobre As Ondas, grupo que ancorou com o barco-clínica em Dublin ontem.O´Neill disse que em torno de 80 mulheres irlandesas grávidas entraram em contato com o grupo para fazer aborto, um número bem maior do que a capacidade da clínica. "Nós não podemos atender esta demanda", disse. "A segunda razão é que há complicações com a lei holandesa, o que significa que não poderemos realizar abortos num barco."A porta-voz não especificou quais seriam exatamente os problemas legais. As autoridades holandesas disseram que as ativistas poderiam ser processadas criminalmente assim que retornassem ao país porque, embora tenham dois médicos e uma enfermeira a bordo, o barco não tem licença para funcionar como clínica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.