Barcos chineses patrulham entorno de ilhas disputadas com Japão

Seis navios chineses de patrulha entraram nesta sexta-feira por alguns instantes nas águas que circundam ilhas disputadas entre China e Japão, elevando as tensões entre as duas maiores economias asiáticas ao seu maior nível desde 2010.

SUI-LEE WEE E LINDA SIEG, Reuters

14 de setembro de 2012 | 09h44

O Japão protestou junto à China e pediu cuidado para que a situação não escape ao controle, resultado que nenhum lado deseja por causa das estreitas ligações econômicas entre os dois países.

A chancelaria chinesa disse que os navios entraram nas águas disputadas para realizar vigilância marítima, e que pela primeira vez a China realizou uma missão de "imposição da lei sobre os seus direitos marítimos".

A Guarda Costeira japonesa disse ter exigido que os navios chineses deixassem a área. À tarde, todos eles haviam deixado a região sem usar a força, segundo uma fonte militar japonesa.

As ilhas, chamadas de Senkaku em japonês e Diaoyu em chinês, ficam próximas a campos potencialmente enormes de gás e petróleo. Na semana passada, o Japão irritou a China ao anunciar que irá nacionalizar as ilhas, indenizando a família que é sua proprietária há quatro décadas.

(Reportagem adicional de Ben Blanchard em Pequim e Kiyoshi Takenaka em Tóquio)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAJAPAOILHASBARCOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.